História de Vida – Parte III: o poeta Augusto Branco

Autor de Vida, Augusto Branco nasceu no coração da Amazónia, fruto da união de dois ribeirinhos que, um dia, tentaram a sorte na cidade: Dona rosa e senhor Raymundo.

Augusto escreveu as suas primeiras poesias aos 7 ou 8 anos de idade, pouco antes de começar a ajudar na loja de ferragens do pai. Frequentou cursos de Administração e Pedagogia, que não completou devido às exigências da sua vida profissional, repleta de mudanças e obstáculos inesperados.

Contudo, ao longo deste percurso complicado, ao qual se juntou uma tragédia familiar, Augusto nunca despiu a pele de escritor, encontrando tempo para criar, quase todos os dias, novos poemas, aforismos e textos motivadores. Foi num desses momentos que nasceu Vida, inspirado nos percalços e vitórias do seu autor.

Augusto Branco apresenta-se sempre como um homem entre tantos outros, “mais um cara no caminho”, nas suas palavras. Uma expressão coerente com a sua produção literária: textos que mergulham no coração das pessoas, ao evidenciarem os mais finos paradoxos que acompanham o amor, a felicidade e o bem-estar, sentimentos comuns a todos nós.

Apesar de não gostar do mediatismo, Augusto Branco concedeu uma entrevista a uma televisão brasileira. Eis o homem que escreveu o poema que deu volta ao mundo.

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>